• banner formacao 2
  • banner metasV2
  • banner objetivo

Notícias

Título: Adesão ao tratamento e Controle da Pressão Arterial após participação no ReHOT

A defesa de dissertação de mestrao foi realizada no dia 29 de março de 2016, no Auditório no Auditório Professor Halley Pacheco de Oliveira – 8º andar do HUCFF/UFRJ.

pdf icon Confira a Defesa de Dissertação de Mestrado aqui

collage-nathalia

 

A Defesa de Dissertação foi realizado no dia 22 de março de 2016, no Auditório E3 50 – 3º andar do HUCFF/UFRJ.

Título: HIPERTENSÃO PULMONAR EM PACIENTES COM INSUFICIÊNCIA CARDÍACA

DESCOMPENSADA: impacto na mortalidade após a alta hospitalar

Resumo: MARINHO, Tatiana Abelin Saldanha. Hipertensão pulmonar em pacientes com insuficiência cardíaca descompensada: impacto na mortalidade após a alta hospitalar. Rio de Janeiro 2016. Dissertação (Mestrado em Medicina: área de concentração cardiologia) – Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2016. Fundamentos: A insuficiência cardíaca(IC) é um grave problema de saúde pública, responsável por um número crescente de hospitalizações e elevado impacto na economia mundial. A pressão sistólica de artéria pulmonar (PSAP) está associada à pior evolução hospitalar em pacientes admitidos por insuficiência cardíaca descompensada (ICD). Seu papel na predição de eventos após a alta hospitalar é incerto. Objetivos: Avaliar o impacto da PSAP nos desfechos: readmissão por IC, morte, morte por doenças do aparelho circulatório e morte ou readmissão em 24 meses após uma internação por ICD.Métodos: Estudo de coorte, retrospectivo avaliando as internações por ICD em um hospital universitário no período de 01/01/2006 a 31/12/2011. Foram excluídas as  internações de IC com fração de ejeção do ventrículo esquerdo (FEVE) preservada, e aquelas em que o ecocardiograma (enão foi realizado, ou em que a medida da PSAP não estava disponível no laudo do exame. APSAP foi avaliada como variável contínua e  dicotômica, utilizando-se o valor de 45 mmHg como ponto de corte. Análise de Cox foi empregada para avaliar os preditores independentes de óbito após a alta. Curvas de Kaplan-Meier foram utilizadas para avaliar a associação de PSAP > 45 mmHg com os desfechos analisados e foram comparadas através do teste de log-rank. Resultados:Foram avaliadas150 internações,das quais 51,5% eram de homens, com média de idade de 61+/-14 anos e 41,6% etiologia isquêmica. A prevalência de PSAP > 45 mmHg foi de 54%. A mortalidade após a alta hospitalar foi de 51,4% em 24 meses. PSAP, tempo de hospitalização, ausência de prescrição de beta-bloqueador e uso de AAS na alta foram preditores independentes de morte após a alta. PSAP também foi preditora de reinternação e do desfecho composto morte ou reinternação, mas não do desfecho morte por doenças do aparelho circulatório. PSAP > 45 mmHg não esteve associada a nenhumdos desfechos avaliados. Conclusões: PSAP, como variável contínua, foi um preditor independente de mortalidade global pós-alta na análise multivariada e esteve associada à reinternação por IC e ao desfecho composto morte ou reinternação por IC na análise univariada. Não houve associação com morte por causas

pdf icon Confira a Defesa de Dissertação de Mestrado aqui

2017-01-11-PHOTO-00000019

A Defesa de Dissertação de Mestrado foi realizada no dia 23 de março de 2016, no Auditório no Auditório Professor Halley Pacheco de Oliveira – 8º andar do HUCFF/UFRJ.

Título: VALOR ADICIONAL DO LIMIAR ANAERÓBIO EM UM MODELO DE PREDIÇÃO DE MORTE GERAL EM UMA COORTE URBANA DE PACIENTES COM DOENÇA DE CHAGAS NA FASE CRÔNICA NA FORMA CARDÍACA.

Resumo: Silva, Roberto Ribeiro da. Valor adicional do limiar anaeróbio em um modelo de predição de morte geral em uma coorte urbana de pacientes com Doença de Chagas na fase crônica na forma cardíaca. Rio de Janeiro, 2016. Dissertação (Mestrado em Ciências Cardiovasculares) – Instituto do Coração Edson Saad, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016.

Introdução: O limiar anaeróbico (LA) é reconhecido como uma medida objetiva que reflete variações no metabolismo dos músculos esqueléticos no exercício. Seu valor prognóstico nas cardiopatias de etiologias não-chagásicas está bem estabelecido. Por outro lado, a avaliação de risco de morte em cardiopatas chagásicos está relativamente bem estabelecida pelo escore de Rassi. Porém, o valor adicional que o LA pode trazer ao escore de Rassi não foi estudado até o momento. Objetivos: avaliar se o LA apresenta um efeito adicional ao escore de Rassi em pacientes com doença de Chagas crônica na forma cardíaca, determinando um possível percentual de acréscimo. Métodos: estudo prospectivo de coorte dinâmica com análise retrospectiva de prontuários, no qual foram analisados 150 prontuários de pacientes. Foram selecionados para a coorte os 45 prontuários de pacientes que realizaram teste cardiopulmonar de exercício (TCPE) entre 1996 e 1997, os quais tiveram o escore de Rassi aplicado retrospectivamente para a data da realização do TCPE, sendo acompanhados até setembro de 2015. A análise dos dados, para detectar a associação entre as variáveis estudadas, foi realizada através de um modelo de regressão logística. Foi utilizado o software R versão 2.13. Resultados: 8 pacientes (17,78%) morreram até setembro de 2015, sendo 7 deles (87,5% dos óbitos) por causas cardiovasculares, dos quais apenas 4 (57,14%) eram considerados de alto risco pelo escore de Rassi. Com o escore de Rassi como variável independente, sendo óbito o desfecho, obtivemos uma área sob a curva (AUC)=0,711, com R2=0,214. Já instituindo o LA como variável independente, verificamos AUC=0,706, com R2=0,078. Quando definimos o escore de Rassi mais o LA como variáveis independentes, foi obtida uma AUC=0,800 e um R2=0,263. E finalmente, definindo como variáveis independentes o escore de Rassi, o LA e a interação entre essas duas variáveis achamos uma AUC=0,797 e um R2=0,267. Conclusão: quando a variável LA é incluída na regressão logística, a mesma aumenta em 5% a explicação (R²) à estimativa de morte.

pdf icon Confira a Defesa de Dissertação de Mestrado aqui

collage-roberto

Topo