• banner formacao 2
  • banner metasV2
  • banner objetivo

Notícias

impacto-cardiorenalA Síndrome cardiorrenal aguda (SCRA) em pacientes com insuficiência cardíaca descompensada (ICD) está associada a um pior prognóstico hospitalar. Não existe consenso acerca do seu impacto nos desfechos após a alta hospitalar.

Esta tese tem como objetivos: avaliar o impacto da SCRA na mortalidade após a alta hospitalar e na taxa de reinternação por ICD; comparar o impacto do aumento da creatinina em qualquer momento da internação com o seu aumento até a alta e avaliar a acurácia da estratégia de busca de óbitos empregada.

Foram analisados os dados de 395 pacientes, dos quais 53,3% são homens, com idade média de 64+/-14 anos, 83,15% aprsentam disfunção sistólica e etiologia isquêmica em 37,6% dos casos. A incidência de SCRA foi de 43,3%, sendo persistente em 22,3% dos pacientes.  A mortalidade após alta hospitalar foi de 67,9% e a taxa de rehospitalização por ICD foi de 41,4%. A acurácia da busca de óbitos foi de 99,44%. SCRA persistente esteve associada a mortalidade após a alta na análise uni- e multivariada (OR1,52,IC95%1,12-2,08,p0,008). Não houve associação entre SCRA e reinternação, independente da definição utilizada.
 

CLIQUE AQUI para ver a apresentação em slides. 

cirurgia valvarOrientadores:  Prof. Dr. Nelson Albuquerque de Souza e Silva, Prof. Dr. Paulo Henrique Godoy, Prof. Dr. Vitor Manuel Pereira Azevedo

Esta tese de Doutorado tem como objetivo estimar a letalidade hospitalar, a sobrevida de longo prazo e o tempo médio de permanência hospitalar dos pacientes que foram submetidos à cirurgia cardíaca valvar realizada de janeiro de 2001 a novembro de 2007, no âmbito do Sistema Único de Saúde no cenário "da vida real”.

Foram utilizadas as bases de dados nacionais do Sistema de Informações Hospitalares (SIH) do SUS e do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), para localizar informações sobre 78.808 pacientes que foram submetidos à cirurgia cardíaca valvar no período estudado. Utilizou-se o relacionamento probabilístico para parear os dois bancos de dados. As funções de sobrevida foram calculadas pelo estimador não paramétrico de Kaplan-Meier. O desfecho avaliado foi tempo até o óbito.

Constatamos em nossa pesquisa que esta é uma das maiores coortes, em cirurgia valvar já publicadas, com 78.808 pacientes. A idade média foi de 50,0 anos, os pacientes eram muito mais jovens do que os relatados em estudos de países desenvolvidos. No trabalho europeu Euro Heart Survey sobre valvulopatias a média de idade foi de 64 anos. A proporção do tipo de lesão valvar e de etiologias também foi diferente da maioria dos estudos baseados nas populações norte americana e europeia. No subconjunto de lesão valvar identificada, a estenose mitral foi a lesão mais frequente. A doença reumática foi a etiologia mais prevalente e responsável por mais de metade dos indivíduos estudados. Este achado é semelhante a outros estudos realizados em países em desenvolvimento. No entanto pelos dados encontrados, podemos inferir que outras lesões valvares e etiologias começam a aumentar sua importância no cenário brasileiro.

CLIQUE AQUI para ver a apresentação em slides. 

professor-gilO Prof. Claudio Gil (ICES-UFRJ e orientador do PPG-Cardiologia) participou em meados de março, em San Diego, do Congresso Americano de Cardiologia - 2015. Dentre as diversas atividades, destaca-se sua primeira participação como o único representante internacional do Sport & Exercise Cardiology Council, para o qual foi nomeado e selecionado no final de 2014, a partir de uma indicação do Departamento de Ergometria e da direção da Sociedade Brasileira de Cardiologia.

Segundo o professor, essa foi uma rica e positiva experiência, sendo possível antever ações futuras bastante relevantes na promoção do exercício saudável e do cuidado cardiológico do exercitante e do atleta por esse Council, que mescla grandes e tradicionais nomes na área, como Paul Thompson e Barry Maron, com outros mais jovens e entusiastas como Silvana Molossi, Mike Emery, Jack Salerno, Matthew Martinez e Aaron Baggashi.

Ainda na mesma viagem, o Prof. Claudio Gil fez uma visita científica a Arnold School of Public Health – University of South Carolina, onde se reuniu com o Prof. Steve Blair, principal expoente da epidemiologia do exercício físico/atividade física, e diversos dos seus colaboradores.

Destaca-se ainda a apresentação de um “Seminar Series” pelo nosso professor para os estudantes de pós-graduação e docentes da instituição americana, que teve o título de “Incorporating novel assessment tools in exercise/fitness:
from 30 years of research to clinical practice” e que permitiu, ao longo de pouco mais de uma hora, mostrar e discutir vários dos procedimentos inovadores criados pelo seu grupo de pesquisa nos últimos 30 anos.

Nessa visita avançou a análise dos resultados do primeiro estudo colaborativo e lançaram-se as bases para outras parcerias em pesquisas e no intercâmbio de alunos de pós-graduação e de docentes das duas instituições.

professor gil foto2

Topo